terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Storytellers >> O começo...

Um dia, nada ensolarado ou cheiroso, nem um pouco florido ou úmido, estava andando pelas planícies por onde costumo caminhar todo os dias, de manhã, para aproveitar o orvalho que nunca existiu ali. Motanhas roxosas e inferteis como aquelas, nunca iria haver uma flor sequer. Devaneios meus, cenários que eu criara outrora em mente mentirosa. "Eu não pertenço a esse mundo", sempre pensei comigo. Já fui a todos os lugares possíveis. Em nenhum estou onde queria estar. Todos são vazios, todos são parados, todos são estáticos, todos são mortos. Todos estão mortos. Como desertos.

E foi nesse dia, caminhando pelas flores de plástico e orvalhos de lágrimas da minha imaginação, que avistei outros três viajantes. Viajantes tão entusiasmados com a vida quanto eu: nada. Nada era o que os guiava e o que me chamava atenção neles. Então por que estou olhando para eles?... Porque eles estavam vivos!... Ao chegarem mais perto, pude entender mais. "Saúdo-os, andarilhos", foram minhas palavras, bem recebidas. Conversamos por horas longas, contamos mutuamente histórias e contos estranhos, macabros, divertidos, sensuais, amansando as mágoas que em nossos corações ainda restavam.

Foi nessa hora em que repentinamente entendi que morto estávamos nós: mortos para a miséria da vida vulgar normal. Somos na verdade os mortos que perambulam pelas ruas com a sina de poder ver a vida, mesmo sem entendê-la, podendo senti-la de verdade, podendo sorver dela todos os sabores e gostos. omos mortos relativamente. Somos poetas cínicos, filósofos mortos, pessoas inúteis. Estes eram os contadores de histórias.


por Thiago S. Mosqueiro em 02/2005




Inaugurando a coluna Storytellers...

Eu e mais quatro amigos mantinhamos um blog (ainda com as ferramentas do Blogger antigo) que desde 2005 foi descontinuado. O endereço ainda está no ar: éramos os Storytellers. Tratava-se de um blog com textos fantásticos e românticos: criávamos histórias e contos à la RPG. O texto acima mostra qual era nosso espírito ao postar. Além de termos amadurecido um pouco nosso estilo de escrita (vejo no texto um eu que mudou bastante nos últimos quatro anos), um detalhe me chamou a atenção. E gostaria de contar rapidamente.

Eu estava vendo o perfil do Rapha no Blogger e notei nosso antigo SotyTeller (ainda com grafia errada, hehe). Resolvi entrar. O que me chamou a atenção é que recebemos um comentário: em um dos meus textos, um comentário feito em setembro do ano passado...

adorei

porque vocês pararam de escrever?

Assinado por Paola, que não conheço (infelizmente). Isso me chocou de tal forma que... contatei imediatamente o Rapha e decidimos que continuaríamos o projeto em forma de coluna no LeGauss, esta casa que tão nobremente nos recebeu e está formando textos de nível excelente. Escreveremos de forma alternada e, provavelmente, semanal. Da próxima vez em que eu postar será o tal texto que recebeu aquele comentário.

Na época, eu mexia muito com criação de arranjos utilizando o formato midi. Veja aqui o arranjo que escrevi de um tema do Final Fantasy. A segunda parte (que parece uma marcha) é uma composição minha.

Por fim, como muitas vezes trazemos textos que são de outras pessoas, especificarei o autor sempre no início do post.

E é por esse motivo que gostaria de iniciar a coluna Storytellers.




4 comentários: