sábado, 17 de janeiro de 2009

Linux para leigos #1 - Ambiente gráfico

Linux é sinônimo de liberdade e uma das liberdades que você tem ao escolher Linux é escolher o ambiente gráfico que mais lhe agradar. Existem vários ambientes a sua disposição, alguns inclusive já inclusos em algumas instalações e outros facilmente instalados a partir de repositórios. Mas o que é um ambiente gráfico? Quais são eles?

O ambiente gráfico

O Linux, em sua forma mais simples e pura, é um sistema operacional em modo texto. Um dos motivos é o tamanho da instalação - ambientes gráficos ocupam espaço no disco. O Linux também é muito utilizado remotamente - SSH - e é muito mais rápido fazer isso em modo texto do que em modo gráfico. E, apesar de haver mais motivos, o último que vou citar é que depois que você aprende a usar o modo texto, você não consegue viver sem ele.
Rodando em cima do modo texto existe algo chamado "X Window System". Este programa, também conhecido como Graphical User Interface (GUI), fornece uma interface gráfica para o usuário. Todas as interfaces modernas são baseadas nessa interface.

Gnome

O Gnome é uma das principais GUI's da atualidade. É o padrão em muitas distribuições, como no Ubuntu e no Fedora. Apesar de ser altamente configurável, seu padrão é caracterizado pela presença de dois painéis finos, um no topo e um embaixo. O painel do topo, em seu canto superior esquerdo apresenta 3 menus - Aplicativos, Locais e Sistema. No canto direito, um relógio com uma área de ícones - semelhante a barra do Windows. Na barra inferior ficam mais alguns ícones e as janelas que estão abertas. Com esta configuração, podemos colocar muitas funcionalidades na tela ocupando o mínimo de espaço.
O Gnome utiliza a biblioteca gtk - todo programa que for para gtk você sabe que foi feito para o Gnome, apesar que no Linux, são seria problema nenhum rodá-lo em qualquer outro ambiente gráfico, basta instalar a biblioteca gtk. Este é o meu favorito.

KDE

Outro grande ambiente, também presente como padrão em muitas distribuições. Diferentemente do Gnome, o KDE - K Desktop Environment - possui apenas uma barra de tarefas na parte de baixo e um único botão de menu - bem semelhante a barra de tarefas do Windows. O KDE também utiliza uma biblioteca diferente, a qt.
Há um tempo atrás o KDE estava decadente, muitas falhas no sistema - eu pessoalmente chamava o KDE de Krash Desktop Enviroment - e os usuários desgostosos com o rumo que o projeto estava tomando. Então, a partir da versão 4.0 o KDE foi totalmente refeito - a versão atual até a data deste artigo é a 4.1. Agora, o desktop do KDE é totalmente voltada ao uso de widgets, está bem moderno e funcional. Vale a pena dar uma olhada, se bem que ainda exista quem prefira o Gnome, por exemplo eu.

XFCE

O XFCE é também feito em gtk e tem como principal caracteristica ser leve. Visualmente próximo ao Gnome, esta é, com certeza, a melhor pedida para quem tem um computador um pouco mais lento ou quer econimizar recursos dos seu computador.

Outros

Existem muitos outros ambientes gráficos mas não quero comentar sobre eles. Esses três são os mais importantes do mundo Linux.

Post Scriptum

A maioria dos links está para páginas do wikipedia em inglês simplesmente porque o conteúdo está muito mais completo neste idioma.




7 comentários: