sábado, 7 de março de 2009

Vou te dar muita pressão!


É... O Bonde do Tigrão já sabia o que dizia.

Evidentemente, não no mesmo sentido, mas esse negócio de pressão é mesmo muito divertido. (pelo menos eu acho!)

Pressão


Pressão é definida como força dividida pela área sobre a qual a força é aplicada. Se tratando de pressão de gases, a origem da força exercida por um gás sobre as paredes de um recipiente que o contém é a sequência incessante de colisões das moléculas do gás com as paredes. São tantas colisões que o gás exerce uma força praticamente constante , que se manifesta como uma pressão constante.

Pressão de vapor


O que acontece se você deixar um copo com água em cima da mesa por dias? A água evapora. E o que acontece se você deixar o mesmo copo com água em cima da mesa, mas cobrir e vedar bem a boca do copo com um plástico? A água vai evaporar tão mais lentamente que vai dar até a impressão de não estar evaporando, certo?
Isso acontece por causa de uma propriedade chamada pressão de vapor, que nada mais é que a pressão exercida pelo vapor de uma substância. Quando você fecha o copo, as moléculas de água que estão na forma de vapor não tem para onde escapar, e ficam ali, em contato com o líquido. Depois que uma certa quantidade de água evaporou, e está ali dentro, em contato a fase líquida, a água para de evaporar. Nesse ponto, diz-se que o vapor e o líquido estão em equilíbrio dinâmico, e temos a pressão de vapor máxima. Geralmente, os líquidos tendem a evaporar até atingirem sua pressão de vapor máxima. E isso é o que explica as coisas legais.

Pressão parcial


Pressão parcial é a pressão que um gás exerceria se estivesse sozinho em um recipiente. Por exemplo, suponha que você tenha uma mistura de 3 gases, A, B e C, e a pressão total seja 1 atm. Você tira o gás A, e a pressão cai para 0,9 atm. Isso significa que a pressão parcial do gás A era 0,1 atm. A pressão total de uma mistura de gases é a soma das pressões parciais desses gases.

A lei de Henry


A lei de Henry se aplica a concentrações de soluto pequenas e pressões parciais baixas. Em 1801, o químico britânico William Henry descobriu que a solubilidade de um soluto (que pode ser um gás) está relacionada à sua pressão parcial na fase gasosa, e a constante de proporcionalidade é uma constante empírica, K, que depende da natureza do gás, do solvente e da temperatura.
A solubilidade de um gás em um líquido é diretamente proporcional à sua pressão parcial.

Ou
Pg=xgKg
Onde xg é chamada fração molar (ou seja, no líquido,a fração molar ocupada pelo gás solubilizado).

A parte divertida


Fica para o próximo post! Senão esse aqui vai ficar gigante como o último!





4 comentários: